CIM-AMREC classificado para segunda fase do projeto Ampliação de Mercados de POA para Consórcios

Publicado em 19/05/2020 às 00:35 - Atualizado em 19/05/2020 às 00:35


Créditos: Antonio Rozeng/Arquivo Baixar Imagem

O Consórcio Intermunicipal dos Municípios da AMREC (CIM-AMREC) participa hoje (19/05), às 15h, de uma entrevista junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que pode colocá-lo na próxima fase do projeto “Ampliação de Mercados de POA (Produtos de Origem Animal) para Consórcios”. O processo faz parte de um dos caminhos que pode dar a região o selo SISBI.

Segundo a gerente de agricultura do CIM-AMREC, a médica veterinária Mariah de Freitas Marques, explica que o Consórcio já foi aprovado na primeira fase, onde 55 consórcios do Brasil estavam escritos, e 38 foram classificados. “Da entrevista de amanhã, saem 10 Consórcios, que ganham o direito de participar do projeto de Ampliação de Mercados de POA para Consórcios”, explica.

O projeto será uma oficina, que treinará os técnicos da região colocando o consórcio muito próximo do sonhado selo SISBI. A entrevista será realizada virtualmente, em função da pandemia do COVID-19. O resultado da primeira fase foi divulgado ainda em março e a entrevista de amanhã, já era para ter ocorrido no início de abril. Mas em função da pandemia ela precisou ser adiada e remodelada.

O presidente do Consórcio e prefeito de Siderópolis, Hélio Roberto Cesa, disse que a região da mais um passo importante. “Estamos a caminho de ter o selo SISBI. Isso vai ser importante para nossa agroindústria que agregar mais valor aos nossos produtos de origem animal”, comentou Alemão.

Hoje apenas quatro consórcios públicos intermunicipais obtiveram o reconhecimento da equivalência com o Serviço de Inspeção Federal (SIF) para adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA) até o presente momento. O objetivo do projeto é orientar tecnicamente os consórcios públicos de municípios que buscam desenvolver seus serviços de inspeção de produtos de origem animal visando ampliar o âmbito de comércio das suas agroindústrias de carnes, leite, pescados, ovos, mel e respectivos derivados.

O projeto-piloto será executado no segundo semestre de 2020, com orientações técnicas presenciais e virtuais, capacitações, fornecimento de material técnico e sensibilização de agroindústrias.